1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Ministério da Saúde anuncia que vai comprar 46 milhões de doses da vacina chinesa

Por Antônio Filho 21 Outubro 2020 Publicado em Saúde
Votao
(0 votos)
Lido 110 vezes
Reprodução Reprodução reprodução/ MSN

O Ministério da Saúde vai comprar 46 milhões de doses da vacina coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantã.


A informação foi confirmada ao Estadão pelo governo do Estado e divulgada mais tarde pela assessoria de imprensa do Ministério da Saúde nesta terça-feira, 20.


A expectativa é que a aquisição ocorra até o fim do ano, após o imunizante obter registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), e que a vacinação comece já em janeiro.


O ministério informou que investirá R$ 1,9 bilhão na compra.


O recurso extra será liberado por medida provisória.


Em reunião virtual com os 27 governadores nesta terça, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anunciou o acordo e ressaltou que a "vacina do Butantã será a vacina brasileira" ao lembrar que o imunizante, mesmo tendo sido desenvolvido na China, será produzido integralmente na fábrica do Butantã, em São Paulo.


A decisão encerra especulações que indicavam que poderia haver resistência do governo federal em adquirir a vacina por divergências entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o governador João Doria (PSDB).


A pasta disse ter assinado um protocolo de intenções com o Butantã para adquirir as 46 milhões de doses, mas ressaltou que, para dar seguimento ao processo de compra, o instituto terá de enviar "todos os documentos comprobatórios dos ensaios clínicos já realizados e daqueles em andamento" referentes à coronavac.


Também destacou que o produto terá que comprovar segurança e eficácia e obter aval da Anvisa.,


"Já fizemos uma carta em resposta ao ofício do Butantã e essa carta é o compromisso da aquisição dessas vacinas que serão fabricadas até o início de janeiro. Essas vacinas servirão para iniciarmos a vacinação ainda em janeiro", declarou.


O ministro destacou o papel do instituto na produção de outros imunizantes disponibilizados no SUS.


"O Butantã já é o grande fabricante de vacinas para o Ministério da Saúde. Setenta e cinco por cento das vacinas que compramos para vacinar os brasileiros vêm do Butantã. O parque fabril deles é muito potente. E essa vacina da Sinovac é a mesma tecnologia que o Butantã utiliza para outras vacinas, como a da H1N1 e outras", disse.


Além da coronavac, o Ministério da Saúde já tem acordo com o laboratório AstraZeneca para compra de 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pela farmacêutica em parceria com a Universidade de Oxford.


No Brasil, o imunizante é testado pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e deverá ser produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).


Fonte:MSN

 

00 A Banner WhatsAppecontatos RadioEldorado2