1. MENU
  2. CONTEUDO
  3. RODAPE

Consumo e venda de crack crescem em Rio Verde, afirma PM de Goiás

Por Eduardo Candido 08 Maio 2012 Publicado em Polícia
Votao
(0 votos)
Lido 4500 vezes
Imagem ilustrativa Imagem ilustrativa Reprodução

Durante uma operação da Polícia Militar (PM) na última semana, 15 pessoas foram detidas consumindo e comercializando crack, em Rio Verde (GO). Em um ginásio de esportes de um bairro popular, os policiais encontraram nove homens vendendo e usando o entorpecente. Segundo a PM, o tráfico de drogas e o número de usuários têm crescido no município.

“Todos os suspeitos detidos têm passagem pela polícia por roubo e até homicídio. Entre eles, encontramos o sobrinho de um traficante da região, que estava com uma grande quantidade de dinheiro”, relata o policial militar Sidney de Jesus.

O município está entre os 187 mapeados pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM) como os locais no estado onde o consumo da droga cresce diariamente. Como acontece principalmente nos grandes centros urbanos, os usuários também estão invadindo áreas abandonadas e locais isolados em Rio Verde.

A TV Anhanguera esteve em um deles juntamente com a PM. “Esse local é utilizado para consumo e vendas de drogas. Eles quebraram o muro e invadiram a casa, onde cerca de 20 usuários fazem trocas e vendas de produtos furtados”, explica o tenente da Polícia Militar Edimar Ferreira.

Entre os usuários flagrados pela polícia, uma mulher grávida de cinco meses confessou à PM que consome crack diariamente. “Fumo muito. É uma média de seis pedras por dia e, às vezes, consumo até mais”, afirma a dependente. Já um rapaz calcula que gasta quase R$ 100 por dia com as drogas. “Capino casas para comprar as pedras”, conta.

Com o problema se agravando, a Polícia Militar chegou a mapear áreas consideradas como cracolândias. A TV Anhanguera acompanhou uma operação e, durante uma abordagem, um homem de 60 anos declarou que há dois anos é viciado em crack e não consegue abandonar a droga.

Ele mora na zona rural de Rio Verde e vai até a cidade escondido da família. “Estou gastando todo o dinheiro. Em vez de comprar coisa para família, acabo gastando com isso aqui. Quero sair dessa vida o mais urgente possível”, comenta.

Fonte: G1 Goiás

Siga-nos no Twitter e no Facebook
Twitter - Facebook